História da Tartária

A Tartária foi um império vivido em sua grande parte na areá da atual Russia.

Indícios que após a Segunda-Guerra Mundial sua história foi apagada do mundo e uma nova história veio a ser escrita pelos vencedores da Guerra.

Pouco ainda se sabe sobre ela o dito que seus ancestrais vem da raça branca – os Arianos, ou Hyperborean.

TARTÁRIA

O mistério da Tartária

Ao falar sobre mistérios de terras e continentes, não podemos deixar de lado a região da Tartária, que de pouco tempo para cá se tornou alvo de grande interesse das pessoas, principalmente de historiadores e pesquisadores. Isso se da pelo fato dela esta ligada a uma espécie de acobertamento histórico de forma intencional, pois ao que tudo indica sua historia real foi substituída ou apagada em partes, dando lugar a argumentos fracos.

Estranho que este pais continuava a aparecer em mapas variados até o século XIX, dessa forma não temos dúvida de que a Tartária é um grande destaque em mapas do século XVIII.

Nos mapas e nas crónicas ocidentais, a região da Tartária fazia fronteira com a moscovia, que ainda estava sobe domínio dos mongóis tártaros. Foi nessa época que começou a fazer grande influência no início do século XIV, tonando-se forte e de grande importância no processo de expansão da Rússia.

Eram tempos difíceis, com frequentes ataques dos mongóis tártaros, a agricultura ainda era precária desde o início da pequena era do gelo.

As explicações de historiadores modernos, é que Tartária não se tratava de um país, e sim o nome dado por europeus a uma grande massa de terra, com uma população na forma de tribos nômades. O que acontece é que geógrafos ocidentais mal sabiam que estas terras chamavam por este nome com o tempo à medida em que o império russo crescia é ficava cada vez menor e gradualmente desaparecido dos mapas históricos.

O mais estranho dessa historia, é que ninguém menciona a Tartária no século XVIII, ainda que ela apareça nos mapas da época.

Mais porque ninguém mencionaria a região da Tartária no século XVIII? Segundo a história oficial russa, a maior parte da Sibéria foi colonizada por eles no século XVII, assim os geógrafos ocidentais que não tinham muito conhecimento aprofundado da antiga geografia da região da Tartária na época, acabaram por aceitar moscou como a capital do império russo.

Por que razão um pedaço de terra teria sua própria bandeira heráldica e capital? Atual tobolski na Rússia é mostrada como tendo sido seu capital e muitos mapas antigos, dentre as diversas modificações feitas ao longo do tempo, a Tartária foi aos poucos sendo apagada dos mapas e perdendo assim sua amplitude territorial.

Para alguns historiadores atuais, a Tartária seria uma cidade lendária ou literalmente uma ficção, entretanto muitos exploradores importantes com marco polo em suas viagens, menciona a Tartária como um país gigantesco e real, até o escritor e poeta William Shakespeare menciona Tartária em uma de suas obras.

Segundo a enciclopédia online Wikipédia diz que a Tartária é uma denominação dada pelos europeus desde a idade média até o século XX, para designar uma imensa extensão da terra da Ásia central e setentrional, a região da Tartária se estende do mar cáspio e das montanhas rurais até o oceano pacífico, a Tartária era habitada pelos povos turcomanos e mongóis do império mongol, genericamente chamados de tártaros.

Assim entende-se que o território por muitos conhecido com Tartária, é a localidade que ia do hoje território da Sibéria, Turquestão, com exceção do Turquestão Oriental, desde Mongólia, Manchúria chegando até o Tibe.

Outra referência é a enciclopédia britânica de 1771 na página 887, diz que a Tartária era um vasto país no norte da Ásia delimitado pela Sibéria no norte, oeste os Tártaros ficavam ao sul de Moscóvia e Sibéria chamados Astrakhan, Sercassia e Daquestão, todos eles situados ao norte, oeste do mar cáspio, encontrava os tártaros de calmuque que ficavam entre a Sibéria e o Mar Cáspio. Os tártaros os Beque e os Mongóis ficavam ao norte da Persa e da Índia, e por fim os do Tibe ficavam a noroeste da China, as referência enciclopédia britânica 1771, página 887.

Observa-se a diferença da descrição da Wikipédia e da enciclopédia britânica, na Wikipédia diz que Tartária, era o nome usado pelos europeus para designar uma grande extensão territorial, já a enciclopédia britânica, afirma que se tratava de um enorme país real.

Existem histórias sugerindo que a Tartária foi um lugar repleto de gigantes, isso se dá pelos gigantescos vasos de pedra encontrados nas planícies de Laos na China, a teoria arqueológica convencional, propõe que esses vasos gigantes eram usados para funerais, porém, a lenda local diz que eles foram feitos para servir a uma vasta civilização de gigantes que habitava a região nos tempos de Tartária.

Arqueólogos dataram essas urnas em torno de 2 mil anos atrás, no entanto vocês encaixá-los no contexto da história de Tartária, os vasos seriam muito mais antigos.

O misterioso dos nomes espalhados por todo o território russo, onde lendas locais igualmente os ligam a uma raça de antigos gigantes.

A muralha da china e outro grande mistério, ao que tudo indica, era a fronteira com a Tartária e isso é claramente mostrado nos mapas antigos, as fortificações apontam para o sul, e não para o norte, como é informado pela história oficial chinesa, a historia diz que a muralha da china foi construída para proteger a China dos povos nômades do norte, referente a isso há grandes evidências de que a muralha teve um propósito muito diferente, proteger a china dos povos gigantes de Tartária.

Não é segredo que a região atual da conhecida Rússia, e repleta de sítios megalíticos com estruturas inexplicáveis, essas são geralmente compostas por megalíticos peculiares, cuja os métodos de construção, se assemelham aos dos sítios de Teotihuacan, Tiauanaco e Puma Punku, sugerindo a evidência de uma civilização muito antiga e misteriosa, totalmente desconhecida da arqueologia história atuais.

Um bom exemplo são os blocos de Gornaya Shoria megaliths, onde a dimensão das estruturas mostra força e tecnologia surpreendentes, sugere que esses misteriosos sítios megalíticos russos, podem ser resquícios da existência de uma raça de colossos que habitaram o nosso planeta há milhares de anos, muito antes das eras mais antigas e uma parte significativa dessa civilização, se encontrava justamente na Tartária Setentrional.

As descobertas que foram feitas em Gornaya Shoria megaliths, que fica na parte sul das geladas montanhas da Sibéria, são grandes blocos de pedras, muito semelhantes ao estilo granito, estes tem superfícies planas e ângulos retos, com cantos afiados.

Os blocos estão sobrepostos e empilhados ao estilo de construções megalíticas, pois são muito grandes, dessa forma a Rússia não é estranha esses misteriosos sítios arqueológicos, como por exemplo o Arkaim em russo, conhecido como stonehenge da Rússia.

O arqueólogo John Jensen descreve esses imensos blocos, eles foram encontrados e fotografados pela primeira vez pelo russo Georgy Sidorov em uma exposição feita nas montanhas da Sibéria.

Até o momento da descoberta não havia medidas dos monumentos, porém a partir da escala baseada nas figuras humanas ao lado dos blocos, foi nitidamente percebido suas descomunais proporções.

Os blocos Gornaya Shoria foram definidos como sendo duas a três vezes maiores do que os blocos de Balbeque no Líbano, que atualmente são considerados os maiores do mundo, lembrando que os blocos de Balbeque pesou por volta de 1870 toneladas, só por aí podemos imaginar a dimensão dos blocos de Gornaya Shoria, pois na medida em que foram catalogados eles chegaram facilmente a 4 mil toneladas.

Onde se localizava Tartária afinal? Segundo alguns historiadores Tartária teve seu fim com problemas internos, logo após uma grande guerra civil, que teria ocorrido no século XVIII.

A maior parte da história da Rússia foi escrita no século XVII e XVIII, por historiadores que eram em grande parte alemães ou seja estrangeiros, alguns pesquisadores dizem que o imperador Pedro O Grande teria se aliado às dinastias ocidentais, a partir daí, a Rússia teria passado por grandes reformas culturais, como por exemplo mudando seu calendário, substituindo São Petersburgo por Moscou como capital e finalmente mudando o seu alfabeto, deixando com características mais ocidentais.

Essa explicação com certeza não se encaixa no que se encontra em registros antigos, no livro intitulado O Maior Monstro da Natureza Aparecido na Costa de Tartarugas Setentrional no Mês de Agosto do ano passado de 1739, escrito na língua holandesa e traduzido para o português arcaico, retrata a exploração de navegadores holandeses na costa da Tartária setentrional, e informado que nessa região haviam criaturas gigantescas provavelmente sobreviventes pré-históricos, incluía não só animais vivos mas também esqueletos de seres humanos gigantescos, em outras palavras, Tartária seria repleta de gigantes.

O que diz um trecho do livro encontrado na página 10 “os que viram tartarugas da costa da Europa, onde as maiores não recebem a grandeza de um broquel, (o broquel era um pequeno escudo antigo), não poderia crer que, há nas ilhas da áfrica outras de tanta grandeza que cabe 15 homens em sua coxa”.

Outro trecho o autor continua dizendo “os que negam a grandeza extraordinária dos peixes, menos acreditaram ao que ouve aos homens”.

Lemos em autores antigos, que na Sicília no ano de 1552, foram encontrados esqueletos com quase quatro metros de comprimento, no ano de 1516, se achou no campo mazarino, um esqueleto de oito metros, e no ano de 1.548 outro de nove metros, na ilha de Cândia acharam dentro de uma sepultura um esqueleto de 72 metros e outro de 98.

Plínio diz que na mesma ilha houve um grande terremoto, posterior a isso no local foi encontrado um esqueleto com 21 metros, na ilha de Leno se encontrou estrutura de um corpo humano de tal grandeza que só o crânio caminho duas pipas de vinho de 500 litros cada uma, na Polônia foi retirado de uma sepultura o cadáver de extraordinária medida o qual tinha um anel no dedo mínimo que facilmente serviria como bracelete para qualquer um homem de estatura normal, junto à cidade de trapani na Sicília, homens cavando a terra para lançar os alicerces de uma nova casa, descobriram numa gruta, o corpo de incrível comprimento que diziam tinha algo em torno de 91 metros da ponta dos pés até o alto de sua cabeça.

Como percebemos até pouco tempo os homens tiveram contato com animais gigantescos, bem como esqueletos incrivelmente grande de seres humanos, assim se compararmos essas descrições ao livro de Enoque, não acharemos tão impressionantes, visto que na antiguidade isso era o que parece algo comum, portanto as dimensões antes de luviana esperam incrivelmente grandes.

É óbvio que todos esses vestígios foram de alguma forma perdidos e muitos deles apagados intencionalmente, como nos apontam todas as evidências a respeito de Tartária.

A Rússia surgiu de outras palavras que por sua vez deram origem ao nome Russenia, fazia parte do antigo império ariano eslavo, que ficava nas montanhas a oeste dos urais, as terras a leste dos urais ao pacífico em direção à Índia central, é o lugar onde estrangeiros eram chamados de raça da terra santa, entre outros nomes.

Um os últimos nomes estrangeiros conhecidos na Europa antes do final do século XVIII, foi sem dúvida a grande Tartária, que mencionamos foi o maior país do mundo, como é informado na primeira edição da enciclopédia britânica de 1771, qualquer um pode confirmar isso pesquisando as edições publicadas.

O principal grupo étnico do império Tártaro, eram os eslavos em sua maior parte russos, ao mesmo tempo existia no seu território e muitas outras nações que tiveram direitos iguais aos da população em geral, e que faziam parte do mesmo país de Tartária, ainda que fosse em grande parte culturalmente diferentes.

O nome Tartária não tem nenhuma relação com os nomes das tribos turcas, quando estrangeiros perguntavam aos nativos deste local sobre quem seriam eles, a resposta era: “somos os filhos de Tarc e Tara”, que na verdade seriam um irmão e uma irmã que viveram nos tempos dos antigos eslavos, que eram considerados os guardiões da terra Russa, de acordo com antigas crenças desta cultura, o homem teria vindo para a terra através do chamado stargate ou portão das estrelas a cerca de 40 mil anos.

Tartaria
Tartaria

Tartária Resumo

Muralha da china foi construída pela Tartária para se proteger da China (Definitivamente o contrário do que foi ensinado).

Com tecnologia atualmente desconhecida pela “massa” a “Muralha da China” com extensão de 21.196 (km) quilômetros foi construída.

Em Tartária, a tecnologia de energia livre de tesla já era utilizada. Abaixo segue fotos de supostas transmissão elétrica via uma espécie de wi-fi.

Antenas também no Brasil.
Rua Sete de Setembro (Rio de Janeiro)

Rua Uruguaiana

Separadamente, observe a aparente ausência de fiação e de interruptores.

Nos tempos de hoje, com os cabos elétricos foi descoberto um meio de cobrar pelos serviços elétricos, afim de manter a civilização ignorante e escrava do novo sistema criado.

Leva-se a crer que a tecnologia livre do império da Tártaria tinha influencia em todo o mundo, até mesmo em colônias. E as mesmas também foram destruídas em escala global.