Pablo Pícasso Biografia

Pablo Pícasso Biografia

Pablo Pícasso Biografia

O pintor Pablo Picasso aplicou técnicas no fim de 1906, quando estava morando na cidade de Gosol na Espanha, foi nesse momento que as suas pinturas receberam influência da arte grega, ibérica e africana.

Pablo Pícasso Cubismo

As influências do Cubismo na vida de Picasso aconteceu quando ele conheceu Fernande Olivier, essa artista e modelo francesa, virou namorada e esse amor trouce inspiração durante anos no Cubismo do artista.

Alguns quadros de Pablo Picasso com inspirações em seu romance com a artista de modelo Fernande Olivier foram:

  • “Mulher com Pães”;
  • “Buste de fomme au bouquet” escultura;
  • Femme aux poires.

Picasso trabalhou em uma obra chamada Les Demoiselles d’ Avignon, era enigmática para os críticos e apreciadores da época, a obra tinha grande influência da arte Africana, e sua base era fixada na art-histórica do pintor Pablo Picasso.

Os fundadores do estilo Cubismo foram Pablo Picasso junto com o artista Georges Braque de origem francesa, ambos pintavam quadros com paisagens no ano de 1908, anos mais tarde este estilo foi descrito como “cubinhos”, assim surgiu o estilo Cubismo.

Pablo Picasso e Georges Braque trabalharam juntos por 10 anos, mais precisamente de 1902 até 1912. Foi nesses anos que eles iniciara o chamado Cubismo Analítico, pouco reconhecida por críticos de arte do período por entenderem que eram apenas formas geométricas.

No entanto para Georges Braque e Pablo Picasso, eles estavam rompendo com o estilo tradicionalmente renascentista, criando um novo estilo artístico de pintura por destacar as perspectivas de ilusão em suas obras. Rompendo a barreira que limitava a observação de um mesmo quadro, eles poderiam levar mais informação e traços muitas vezes ilusionistas para analises distintas do mesmo quadro.

No ano de 1912 Pablo Picasso junto com Braque pintavam uma de suas telas, levando materiais como papel real colado e áreas pintadas, foi quando criou uma das suas primeiras obras de arte mais famosas, o quadro Natureza-morta com cadeira de palha (Nature morte a la chaise cannee), foi esta obra que marcou a mudança do Cubismo analítico para o Cubismo Sintético, estilo que duraria até 1914.

No estilo Cubismo Sintético era perceptível a maior presença de cores, levando mais uma referencia industrial, com o uso de areia e papel impresso.

pablo pícasso

Picasso não pintava exclusivamente no estilo cubismo sintético, observa-se que um dos seus quadros, chamado Arlequim é nitidamente estilo cubismo sintético enquanto a sua obra denominada Vollard e estilo cubismo impresso, com grandes influencias nesta obra do artista francês do século XIX Jean – August – Dominique Ingres pintor neoclássico.

Escultura Cubista

pablo pícasso obras cubistas

Pablo Picasso fez diversas obras esculturas estilo Cubista, assim como as suas pinturas, o busto feito em bronze denominado Tete de Femme ou Cabeça de Mulher do ano de 1909, possibilita observar as habilidades do artista com as formas tridimensionais.

Picasso explorou outros materiais como madeira, metal, papel e itens não artísticos na criação da obra ‘Mandolina’ no ano de 1914.

Outras obra de Pabloc Picasso que demonstra suas habilidades em arte escultural, La verre d’absinthe ainda do ano de 1914, e Baboon and Young de 1951, este último que foi uma das suas peças encontradas posteriormente.

Por manter suas obras esculturais guardadas em sua coleção particular, Pablo Picasso foi reconhecido tardiamente como grande escultor do século XX, isso aconteceu só após sua morte.

Em 1928 Picasso, começou a trabalhar em Julio Gonzalez na cidade de Paris, sem suas obras utilizava ferro e chapas de metal.

Em 1931 Pablo Picasso deixou sua esposa Olga e mudou-se com sua nova amante Marie Therese Walter para uma casa de campo em Boisgelop, onde tinha espaço para atelier de escultura e começou a trabalhar com Marie Therese como sua musa em cabeças de gesso em grande escala até o e de sua vida Picasso continuou a trabalhar em escultura em uma variedade de materiais.

SUAS PAIXÕES E ARTE

Guerra e Paz - pablo pícasso

Picasso nunca se dissociou completamente das mulheres que tinham partilhado a sua vida uma vez que um novo amante lhe ocupou a atenção. O seu trabalho é a prova. Uma amante muitas vezes se transformou em outra. Ele expressou por todo o tempo sua visão completamente dividida da mulher que estava em sua mente ou em sua vida. Por exemplo, “Duas Irmãs”, a pintura de uma prostituta e de uma freira. Ele passava seu tempo dormindo, observando com Dona Maria e pintava prostitutas. Dois dos desenhos mais pequenos de nus que ele guardava para a sua colecção privada. Num deles tinha escrito “Cuando tongas ganas de joder, jode”. Na sua luta para se definir, um homem parecia ser a emoção mais apropriada para as mulheres.

Em agosto de 1904, em Paris, enquanto ia ao seu estúdio, ele conheceu Fernande uma bela mulher. Ele a levou para ver o seu estúdio. Ele pensou que não era apenas mais um encontro, mas de fato o início de sua primeira relação real. Pela primeira vez em sua vida ele se comprometeu por uma mulher – “não até que a morte nos separe” – mas pelo menos até que o apego deixe de ser apaixonado, inspirador ou conveniente. Fernande Olivier era uma artista. Ela pintou e desenhou, mas preferiu expandir sua criatividade na invenção de uma vida. Ela entrou no mundo de Picasso e se tornou sua primeira amante oficial. Ele adorava o aspecto dela, a forma como se vestia.

Fernande era quatro meses mais velha para ele. Picasso tinha um medo e uma ansiedade provocados pelo desafio e a expectativa de um relacionamento real. Os seus medos persistiam no seu quadro “Mulher Dormindo”. Ele pintou-se sentado junto à cama, perdido em pensamentos e imaginações ansiosas. Na sua vida diária Picasso estava muito ansioso por estar com ele o tempo todo. Ele não se importava se ela cozinhava ou não, limpava a casa ou não. Ele proibiu-a positivamente de fazer as compras. Ele a forçou a viver como um recluso. A sua ociosidade juvenil e sensualidade descontrolada foram a pedra angular da sua relação. O saudável otimismo dela foi um remédio para as depressões dele. Picasso que visitava regularmente casas de prostituição em busca de mulheres e pensava apenas por si mesmo, tornou-se um homem para quem Fernandez. Rose se tornou a cor dominante em seu trabalho.

Em 1911 apaixonou-se por Marcelle Humbert que viveu com Marcoussis durante os últimos três anos. Seu apego decadente a Fernande foi substituído por Marcelle. Quando a distância entre Fernande e Picasso se tornou grande demais para ela suportar, ela deixou Picasso e se entregou a Ubaldo Oppi – um jovem pintor italiano. Em vinte e quatro horas depois de Fernande o deixar, ele expulsou Marcelle de Marcoussis. Ela mudou-se para ele e ele renomeou-a Eva. Em 1915 ela sofria de tuberculose e tinha medo de que se Picasso soubesse ele a deixaria. Eva foi hospitalizada e o seu caso começou com Gaby Lespinasse, uma parisiense de 27 anos, que era sua vizinha. Em dezembro de 1915, Eva morreu.

Jane Cocteau, uma jovem poetisa, decidiu trazer Picasso para o círculo de Sorgei Diaghilev. Ele também decidiu que Picasso desenhasse os trajes e cenários para um balé “Parade”. Picasso se envolveu neste novo projeto.

Em Fevereiro de 1917, partiram para Roma. Ele conheceu Olga Kokloua, uma bailarina de 26 anos e filha de um oficial do exército russo. Em 12 de julho de 1918 casou-se com Olga no Mairie e depois numa cerimônia religiosa na Igreja Ortodoxa Russa na Rue Daru. Ela era simples e bem parecida. Anos mais tarde ele disse que escolheu Olga porque ela era bonita e pertencia à nobreza russa. Em Corunna, quando menino tinha sido rejeitado pela família do seu primeiro amor, chamada Angeles, porque o seu estatuto social não era suficientemente digno. Um quarto de século mais tarde, ele acertaria essas contas. Se Olga era ou não a parceira certa para a vida, mas era sem dúvida a parceira certa para a vida social. A grande revolucionária da arte do século XX caiu de volta em sua vida na esperança de se casar com a aristocracia.

Olga deu à luz um filho em fevereiro de 1921, chamado Paulo, o único filho legítimo de Pablo Picasso. O orgulho e o prazer de ser pai inspirou-o a esboçar a série dos primeiros meses de Paulo. Às vezes, como se estivesse ciente das mudanças dramáticas trazidas durante o primeiro ano de vida de uma criança, ele registrava essa data e a época em que os desenhos eram feitos. Na primavera de 1925 nasceu o ‘Três Dançarinos’. Foi o início de uma decomposição selvagem do corpo humano e a evocação da Crucificação compôs a sensação de “boom” e destruição que permeou o quadro. Em estilo realista, Picasso fez vários retratos de Olga. Ele continuou trabalhando em estilo realista com retratos de seu filho e de numerosos amigos. Ele criou estranhos retratos de banhistas com cabeça pequena e violentos retratos convulsivos de mulheres que são muitas vezes indicativos da tensão em sua vida matrimonial.

Em janeiro de 1927 ele conheceu Marie Therese, uma bela jovem de dezessete anos. Ela não sabia nada de arte e Picasso. Em 1934 Picasso derramou a sua confusão e dor extrema nas quatro gravuras comoventes do “The Blind Minotaur”. O Minotauro, um símbolo para si mesmo, está sendo ternamente guiado por uma bela garota agarrada a uma pomba. Há um ar de tragédia sem esperança sobre a besta cega, tão forte mas, tão vulnerável, ele luta para encontrar o seu caminho ao longo da orla marítima. A menina se parece com Marie várias pinturas do início dos anos 30 expressas sobre o erotismo subjacente, refletindo seu mais novo amor, Marie Theresa Walter. Marie frequentemente retratava o sono – também era o modelo para a famosa ‘Jeune fille devant un miroir (1932)’. Ela tornou-se o tema das suas pinturas, muitas vezes líricas, às vezes eróticas, nas quais ele combinava cores intensas com formas fluidas. Em 1935 Marie deu à luz a uma menina. Olga sua esposa o deixou com seu filho.

Quase exatamente na mesma época em que sua filha nasceu, Picasso apresentou Dora Maer, fotógrafa e pintora iugoslava e também uma intelectual do movimento surrealista. Ela sabia falar espanhol fluentemente e era intelectual.

A guerra estava em seus quadros – não uma guerra em particular, mas a escuridão, a raiva e o ódio que causam a guerra. Em junho da II Guerra Mundial, o exército alemão marchou para Royan onde ele ficou e se mudou de Paris porque os alemães ameaçavam Paris e para ficar lá era para cortejar o perigo. Ele pintou uma de suas imagens mais brutais e vingativas da feminilidade: Dora (sua amante) como a “Nua Vestida de Cabelo”. A brutalidade não estava menos presente na sua vida. Muitas vezes ele batia na Dora e muitas vezes a deixava deitada inconsciente no chão. A transformação da princesa em sapo e da sensualidade em horror, e nos retratos de rosto de cão que ele pintou de Dora. Ele completou a transformação : de mulher em animal escravo. Mais de dois terços de seu trabalho durante 1939 a 1940 consistiram em mulheres deformadas, seus rostos e corpos voavam com fúria. Seu ódio a uma mulher específica parecia ter se tornado um ódio profundo e universal por todas as mulheres.

Em maio de 1943 conheceu Françoise Gilot, filha de um homem de negócios de sucesso enquanto jantava na Catalunha, ela desenhava desde criança. Ele convidou-a para ver o seu estúdio para ver alguns dos seus quadros. Dora sabia da existência de Françoise, mas não podia acreditar que alguma vez seria suplantada por uma “menina da escola”. Ela começou a viver com Picasso em julho de 1946. Ela era mãe dos seus dois filhos – um filho Claude e uma filha Ann Paloma. Em 1953, Françoise deixou Picasso e casou-se com uma jovem pintora. A decisão de Françoise de abandonar Picasso quando a morte se aproximava era um símbolo de vida, deixando-o de morte, deslocando a vitalidade que sempre foi a sua marca registrada. Ele sofreu sozinho e depois de 28 de novembro, o mês do seu setenta e dois anos, ele parou de falar e começou a trabalhar. Ele trabalhou febrilmente e em pouco mais de dois meses produziu 180 desenhos. O poeta Michael Leiris chamou a série de “diário visual de uma época odiosa no inferno, uma crise na sua vida pessoal que o levou a questionar tudo”. Nestes desenhos confessionais, ele tentava captar através da sua arte a vitalidade que lhe escapa na vida.

Em 1954, Picasso conheceu Jacqueline Rogue, que trabalhava em uma olaria na Vallauris. Ele pintou “Jacqueline em uma cadeira de baloiço”. Ele a tinha mostrado não como ela era, mas como ela logo se tornaria. Ele se casou com ela em 1961. Ela agora era a Madame Picasso. O casamento transformou-a de vítima para vitoriosa.

Em 15 de outubro de 1986, Jacqueline chamou Aurelio Torronte, diretor do Museu Espanhol de Arte Contemporânea de Madri, para discutir os detalhes finais da exposição de sua seleção pessoal de quadros de Picasso, que seria inaugurada em Madri dez dias depois. Ela prometeu-lhe que estaria presente para a inauguração. Às três horas da manhã, ela se matou a tiro. Ela foi enterrada no Castelo de Vauvenargues, onde Picasso também foi enterrado. Este castelo foi comprado por Picasso em 1958.

Marie Therese enforcou-se no dia 20 de outubro de 1977, no ano do cinquentenário do seu encontro com Picasso. Ela tinha sessenta e oito anos de idade. Ela escreveu à sua filha Maya: “Você tem que saber o que a vida dele (de Picasso) significou para ela”. Maya disse mais tarde que a relação deles era uma loucura. Ela sentiu que tinha que tomar conta dele mesmo quando ele morreu. Ela não conseguia desnudar o pensamento dele sozinha.

Pablo Pícasso Biografia Resumo

Para ficar mais fácil apresentamos a Biografia de Pablo Picasso um resumo.

Um pintor espanhol que veio a mundo no dia vinte e cinco (25) de outubro do ano de 1881 e deixou esse mundo no dia oito (08) de abril de 1973, com 92 anos de idade.

O artista expressa suas obras no estilo cubista, como pode-se observar nos quadros “A Pomba da Paz” onde se pode ver os traços de uma pomba branca levando em seu bico um ramo, o quadro “Les Demoiselles d’Avignon” cinco mulheres destacando suas formas, e a obra prima de Pablo Picasso, o quadro “Guernica” apresenta a destruição da cidade espanhola.

Estilo Cubismo, principais obras “A Pomba da Paz”, “Guernica”, “Les Demoiselles d’Avignon”

Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso nasceu em Málaga, Espanha, em 25 de outubro de 1881. Filho de um pintor e professor de desenho, realiza sua primeira exposição individual aos 19 anos, na galeria de Ambroise Vollard. Em 1904, Pablo Picasso decide se mudar definitivamente para Paris, para fazer parte da vanguarda artística da cidade.

Em 1907, pinta As Senhoritas de Avignon, um dos marcos iniciais do movimento cubista, que ele viria a desenvolver nos anos posteriores com o pintor George Braque. Apesar de ser conhecido como um pintor cubista, Pablo Picasso apropria-se, ao longo de sua trajetória, de outras tendências artísticas, como o neoclassicismo e o surrealismo.

Durante a guerra civil espanhola, Pablo Picasso assume o cargo de direção no Museu do Prado e providencia para que os tesouros artísticos do país sejam evacuados. Em 1937, a pedido do governo republicano da Espanha, pinta para a Exposição Internacional de Paris a obra “Guernica”, onde denuncia os horrores do bombardeio nazista a pequena cidade espanhola de mesmo nome.

Em 1971, Pablo Picasso expõe sua obra na Grande Galeria do Museu do Louvre, tendo sido o primeiro artista vivo a receber tal honraria. Morre em 1973, aplaudido como um dos mais importantes pintores do século XX.

Pablo Picasso Obras

Vamos falar um pouco de cada obra de Pablo Picasso obras, pinturas do artista famoso.

1. Ciência e Caridade (1897):
Pablo Picasso pintou esta obra com apenas 16 anos de idade. Inspirada em temas de realismo social, o quadro de grandes dimensões – 197cm x 249cm – mostra a formação acadêmica de Pablo Picasso.

Ciência e Caridade, 1897


Ciência e Caridade, 1897

2. A Espera – Margot (1901):
Nesta tela, nota-se a influência do neo-impressionismo e de pintores como Van Gogh e Toulouse-Lautrec. Pablo Picasso pinta o tema na diagonal, entre uma área escura e outra de cor, composta de pequenas pinceladas verdes, vermelhas e amarelas. No centro, ressalta-se o vermelho puro e a pose ambígua da mulher retratada.

Margot, 1901


Margot, 1901

3. Velho Guitarrista (1903):
Obra realizada durante a chamada “fase azul” de Pablo Picasso, em que ele reduz sua paleta de cores a tons de azul e se dedica a temas melancólicos e sombrios. É visível a influência do mestre El Grego, especialmente na deformação das mãos.

O Velho Guitarrista, 1903


O Velho Guitarrista, 1903

4. Boy leading a horse (1906):
Quadro pintado na “fase rosa” de Pablo Picasso, quando os tons de azul são substituídos por escalas de rosa, bege, branco e, pontualmente, vermelhos. Os formas frágeis e arcaicas ainda denotam certa melancolia, mas com um tema mais lúdicos: o circo.

Boy leading a horse, 1906


Boy leading a horse, 1906

5. Retrato de Gertrude Stein (1905-1906):
Para realizar este retrato, foram necessárias mais de 80 sessões de pintura, sem que Pablo Picasso se sentisse satisfeito com o resultado. Conta-se que o pintor isolou-se em um vilarejo nos Montes Pirineus e estudou novas soluções pictóricas. Ao retornar a Paris, finalizou o quadro. A figura arcaica, com traços que parecem ter sido talhados em madeira, e a falta de naturalismo na pose e perspectiva da obra são indícios da arte cubista vindoura.

Retrato de Gertrude Stein, 1905-1906


Retrato de Gertrude Stein, 1905-1906

6.As Senhoritas de Avignon (1907):
Obra de ruptura com os padrões estéticos ocidentais e um dos marcos iniciais do movimento cubista. Representa cinco prostitutas em um bordel, e traz distorções e planos fragmentados, além de uma perspectiva plural dos objetos. Fizemos uma análise desta obra.

As Senhoritas de Avignon, 1907


As Senhoritas de Avignon, 1907

7. Horta de Ebro – Casas Sobre a Colina (1909):
Pintura da primeira fase cubista, de uma paisagem do interior da Espanha. A geometrização das formas e distorção da perspectiva torna difícil definir as coordenadas espaciais do quadro. Fizemos uma leitura da obra.

Horta de Ebro – Casas Sobre a Colina, 1909


Horta de Ebro – Casas Sobre a Colina, 1909

8. Violin, glass, pipe and inkwell, 1912 (1912):
Obra de Pablo Picasso pertencente a segunda fase cubista, que investiga a natureza e a estrutura dos objetos. O formato oval da tela é utilizado a partir de 1910 por Braque e Pablo Picasso.

Violin, glass, pipe and inkwell, 1912


Violin, glass, pipe and inkwell, 1912

9. Copos e Garrafa de Suze (1912-1913):
Esta obra é realizada com colagem de papeis, guache e carvão, e pertence a terceira fase cubista. Diminui-se a dissolução das formas, e as cores são mais vivas do no período anterior.

Copos e Garrafa de Suze, 1912-1913

Copos e Garrafa de Suze, 1912-1913

10. Retrato de Olga na Poltrona (1917):
Após o cubismo, Pablo Picasso retorna ao desenho clássico e composições tradicionais. Neste quadro de influência neoclássica, Pablo Picasso retrata a bailarina Olga Khokhlova, com quem mais tarde se casaria. Incongruente com a obra é o fundo vazio, onde Olga parece flutuar.

Retrato de Olga Sentada, 1917


Retrato de Olga Sentada, 1917

11. Garota no Espelho (1932):
Na segunda metade da década de 1920, Pablo Picasso aproxima-se do surrealismo, com figuras que ora se deformam, se curvam, se enchem de cavidades, se partem em membros fluidos e desarticulados. Neste quadro, Pablo Picasso pinta a sua amante, Marie-Thérèse Walter.

Garota no Espelho, 1932


Garota no Espelho, 1932

12. Guernica (1937):
Obra de dimensões gigantescas (3,50m x 8m), é uma denúncia contra a guerra, a barbárie e a crueldade humana. Muitos consideram esta a maior obra-prima de Pablo Picasso. Fizemos uma análise da pintura.

Guernica, 1937

pablo pícasso obras cubistas
Guernica, 1937

Pablo Picasso a Fase Azul e Fase Rosa

Pablo Picasso possuía um grande amigo chamado Carlos Casagemas, que também era pintor. Em 1901, os dois amigos viajaram para Paris, para conhecer o que na época era a capital do mundo das artes. Após um amor não correspondido, Casagemas se matou com um tiro.

Picasso ficou extremamente abalado com a tragédia. Provavelmente influenciado por este fato, sua pintura adquiriu, entre os anos de 1901 e 1905, temáticas melancólicas e obscuras. No estudo de sua obra, convencionou-se chamar este período de “fase azul”.

Picasso retrata criaturas solitárias e marginais: prostituas, mendigos, doentes e loucos. Seus corpos são rígidos e secos, excessivamente alongados.

Em 1904, Picasso muda-se definitivamente para Paris, e apaixona-se por Fernande Olivier. Este convívio amoroso, somado a uma viagem empreendida pelo casal para os Pirineus, onde Picasso estudou novas soluções pictóricas, inaugurou uma nova fase em sua trajetória artística: a “fase rosa”, que vai de 1905 a 1907.

Embora ainda se mantenha certo tom contemplativo, Picasso aquece os tons de suas matizes em traços de rosa, vermelhos e ocres. Buscando uma pintura mais lírica, retrata artistas de circo, atores e saltimbancos. Esta fase também é conhecida como “fase dos arlequins”.

Retratos de Carlos Casagemas

Portrait of Casagemas, 1899
Portrait of Casagemas 1899
Portrait of Casagemas, 1899

Evocation (The Burial of Casagemas), 1901
Evocation The Burial of Casagemas 1901
Evocation (The Burial of Casagemas), 1901

The death of Casagemas, 1901
The death of Casagemas 1901
The death of Casagemas, 1901

Obras da Fase Azul de Picasso

Pablo Picasso possuía um grande amigo chamado Carlos Casagemas, que também era pintor. Em 1901, os dois amigos viajaram para Paris, para conhecer o que na época era a capital do mundo das artes. Após um amor não correspondido, Casagemas se matou com um tiro.

Picasso ficou extremamente abalado com a tragédia. Provavelmente influenciado por este fato, sua pintura adquiriu, entre os anos de 1901 e 1905, temáticas melancólicas e obscuras. No estudo de sua obra, convencionou-se chamar este período de “fase azul”.

Picasso retrata criaturas solitárias e marginais: prostituas, mendigos, doentes e loucos. Seus corpos são rígidos e secos, excessivamente alongados.

Em 1904, Picasso muda-se definitivamente para Paris, e apaixona-se por Fernande Olivier. Este convívio amoroso, somado a uma viagem empreendida pelo casal para os Pirineus, onde Picasso estudou novas soluções pictóricas, inaugurou uma nova fase em sua trajetória artística: a “fase rosa”, que vai de 1905 a 1907.

Embora ainda se mantenha certo tom contemplativo, Picasso aquece os tons de suas matizes em traços de rosa, vermelhos e ocres. Buscando uma pintura mais lírica, retrata artistas de circo, atores e saltimbancos. Esta fase também é conhecida como “fase dos arlequins”.

Mother and child, 1902
Mother and child 1902
Mother and child, 1902

Seller of gul, 1902
Seller of gul 1902
Seller of gul, 1902

Life, 1903
Life 1903
Life, 1903

Obras da Fase Rosa de Picasso

Acrobata e Equilibrista, 1905
acrobata balao1905

Acrobata e Equilibrista, 1905

Acrobat and young harlequin, 1905
Acrobat and young harlequin 1905

Acrobat and young harlequin, 1905

Family of Acrobats with Monkey, 1905
Family of Acrobats with Monkey 1905
Family of Acrobats with Monkey, 1905

Pablo Picasso – Esposas, Musas e Amantes

Pablo Picasso e seus diversos amores.

Algumas das mulheres de Pablo Picasso, conhecido por sua tumultuada vida amorosa.

Pablo Picasso teve inúmeras mulheres, entre esposas, amantes e musas. Para o pintor, o amor era um sentimento físico, ligado à posse. Mesmo quando tinha um novo amor, Picasso mantinha as antigas paixões por perto, exercendo sobre suas mulheres uma atração irresistível.

O pintor jamais conseguiu esconder uma nova paixão. Logo que uma mulher aparecia em sua vida, um novo rosto aparecia em seus quadros.

Alguns dos amores de Picasso:

• Fernande Olivier (1904-1912):

Picasso conheceu Fernande logo que chegou a Paris, em 1904. Os dois viveram juntos em Montmartre, em uma época de grandes dificuldades financeiras e intensa vida boêmia. Fernande, quatro anos mais velha que Picasso, era uma mulher elegante e sensual. Conta-se que Picassso tinha tanto ciúmes dela que a trancava em seu apartamento, quando desejava sair sozinho.

Na pintura, Fernande marca a transição da “fase azul” para a “fase rosa” de Picasso. Na fase azul, influenciado pela morte de seu amigo Carlos Casagemas, Picasso pinta temas melancólicos e lúgubres. Na fase rosa, há uma atmosfera mais serena e temáticas circenses. Fernande também o acompanha na primeira fase do movimento cubista.

• Eva Gouel (1912-1915):

O verdadeiro nome de Eva era Marcelle Humbert. Picasso a conheceu em um circo, enquanto ainda morava com Fernande. Eva era casada com um pintor polonês, mas o abandona para viver com Picasso. Faleceu jovem, em 1915, de tuberculose, deixando Picasso arrasado.

Nunca foi retratada por Picasso, mas seu nome é citado em obras cubistas.

• Olga Koklova (1917-1935):

Picasso conhece Olga, uma bailarina ucraniana, quando auxilia na criação de cenários para um espetáculo da companhia de dança dos Ballets Russes. Olga é uma mulher rica, e ambos vivem em mundos completamente diferentes. Mesmo assim, em 1918, se casam, e em 1921, nasce o único filho do casal, Paul. Enquanto esteve casado com Olga, Picasso cultivou inúmeras amantes, dentre elas, Marie-Thérèse e Dora Maar. As brigas com Olga são constantes e Picasso a abandona em 1935 – legalmente permaneceram casados. Olga jamais se recuperou do término do relacionamento. Seguia Pablo e suas mulheres e envolvia-se em escândalos ruidosos. Morreu em 1955, de câncer.

Inicialmente, Picasso a retrata com traços delicados e uma surpreendente estética neoclássica. Com o passar do tempo e o desgaste da relação, Olga assume, nas telas de Picasso, ares monstruosos e deformações terríveis.

• Marie-Thérèse Walter (1927-1935):

Picasso conheceu Marie enquanto ela passeava próximo as Galeries Lafayette, lojas de departamento de Paris. Com 17 anos, Marie era uma jovem loira de olhos azuis, sem muita cultura e pouca noção da fama de Picasso. Foi uma amante submissa e dependente. Jamais moraram juntos, mas mantiveram uma relação durante 16 anos, e Pablo a visitava semanalmente. Juntos, tiveram uma filha, em 1935, Maria, apelidada Maya e jamais reconhecida legalmente. Marie-Thérèse suicidou-se quatro anos após a morte de Picasso.

Picasso retrata Marie-Thérèse em sua fase surrealista, utilizando curvas para acentuar sua beleza, em obras solares e sensuais.

• Dora Maar (1936-1944):

Conhece Picasso em 1936, no Deux-Magots, restaurante que o pintor frequentava. Conta-se que Dora espetava uma faca entre os dedos, em uma espécie de desafio. De vez em quando, errava, e seus dedos sangravam. Picasso tentou comprar dela suas luvas ensanguentadas. A partir daí, iniciaram um relacionamento que duraria sete anos. Dora era uma fotógrafa de olhos verdes, mulher inteligente e moderna. Fotografou Picasso no processo de realização de sua maior obra prima, Guernica. Picasso a abandona para ficar com Françoise Gilot. Após a separação, Dora entra em processo esquizofrênico e é internada em um manicômio. Depois, passa anos reclusa em conventos.

Picasso gosta de retratar Dora chorando, em desespero. São pinturas surrealistas, com grandes deformações.

• Françoise Gilot (1943-1953):

Picasso e Françoise se conhecem em um restaurante, o Le Catalan. O pintor espanhol jantava com Dora, mas logo encantou-se pela ruiva de olhos verdes sentada próxima. Françoise é uma estudante de pintura, mulher forte e determinada. Quando decidem morar juntos, Françoise tem 21 anos e Picasso, 61. Tiveram dois filhos juntos, Claude, de 1947, e Paloma, nascida em 1949. Françoise é conhecida por ter sido a única mulher a abandonar Picasso, depois de 10 anos de relacionamento. Também, seguiu uma carreira própria e alcançou certo prestígio. Em 1964, publicou um livro chamado Life with Picasso – The Love Story of a Decade, em que descreve Picasso como um homem egoísta, manipulador e sádico. Picasso tentou proibir a circulação do livro, sem sucesso. A partir deste momento, recusou-se a ver os filhos que teve com Françoise, Claude e Paloma.

Françoise é pintada com poucas deformações, em retratos altivos.

O relacionamento de Picasso e Françoise foi retratado no filme “Os Amores de Picasso”, de 1996.

• Jacqueline Roque (1953-1973):

Amante de Picasso durante o relacionamento do pintor com Françoise, torna-se sua mulher quando Gilot o abandona. Com 26 anos, tinha longos cabelos negros e olhos azuis, era divorciada e tinha uma filha. Venerava Picasso, a ponto de jamais chamá-lo pelo nome, apenas como monseigneur (meu senhor). Com a morte de Olga, em 1955, Picasso pode se casar novamente. O matrimônio com Jacqueline foi oficializado em 1961. Viveram juntos até a morte do pintor, em 1973. Em 1986, Jacqueline se matou com um tiro na cabeça.

Pablo Picasso | D’Après

D’après, obras de Pablo Picasso inspiradas em pinturas célebres
Releituras da obras “As Meninas”, realizadas por Picasso
Aos 80 anos de idade, Pablo Picasso passa a estudar os quadros de grandes mestres da pintura ocidental, realizando séries de releituras das obras. Este trabalho de reinterpretação é chamado pelo artista de d‘après.

A obra de Velázquez “As Meninas” é a mais completa das séries de d‘après. São 44 pinturas, onde o artista espanhol apropria-se do tema e o estuda conforme sua estética particular.

Obra “As Meninas”, de Velázquez, reinterpretada por Pablo Picasso

Las Meninas, 1957

Pablo Picasso | Retratos e Auto-Retratos

Retratos e auto retratos de Pablo Picasso

Gertrude Stein assim descreveu o artista Pablo Picasso: “Baixinho e impulsivo, mas não agitado, os olhos providos da bizarra faculdade de se escancarar e absorver tudo o que procuram ver. A sua cabeça tinha a solidão e a pompa da cabeça de um toureiro em um desfile”.

Fernande Olivier, a primeira companheira de Picasso, comentou sobre o artista, anos depois de se separarem: “Era baixo, escuro, robusto, irrequieto, inquietante, com olhos sombrios, profundos, penetrantes, estranhos, quase parados. Tinha gestos desajeitados, mãos femininas, mal vestido e pessoalmente descuidado. Um topete preto, denso e brilhante no meio da cabeça, inteligente e teimosa. Um estilo meio boêmio, meio operário, com os cabelos compridos demais, que escovavam o colarinho do seu paletó puído”.

Self Portrait, 1896

A parody of Manet’s Olympia with Junyer and Picasso, 1902

Self Portrait, 1900

Self Portrait, 1901

Self Portrait, 1901

Portrait of the Artist, 1903

Self Portrait, 1906

Self Portrait, 1906

Self Portrait, 1907

Seated man (Self portrait), 1965