Origens da Guerra do Vietnã

O Incidente de Tonquin foi a desculpa para a entrada definitiva dos Estados Unidos no conflito vietnamita, ou, melhor ainda, para institucionalizar a sua intervenção. O Vietnã faz parte da península da Indochina, no Sudeste Asiático. Dominados pelos franceses no final do século XIX, junto com os vizinhos Laos e Camboja, a região da Indochina foi transformada em colônia francesa, mas a resistência contra o invasor e colonizador nunca cessou. Com o início da Segunda Guerra Mundial e da capitulação francesa perante a Alemanha nazista, os japoneses, aliados dos nazistas, penetraram na Indochina. Em 1941, foi fundado o Viet Nam Doc-Lap Dong Minh, a Liga de Independência do Vietnã, conhecida pelo nome reduzido de Vietminh, formada por nacionalistas, incluindo o comunista Ho Chi Minh. Inicialmente lutaram contra os japoneses, com auxílio norte-americano, vencendo-os, tomando o país (Vietnã) e proclamando a independência, em 1945. A independência duraria menos de um mês.

Com o fracasso das negociações entre o Vietminh e o governo francês, a França bombardearia o porto de Haiphong, em 1946, iniciando as batalhas do que foi chamado de Primeira Guerra da Indochina (1946-1954). Essa guerra, apesar de ser uma luta colonial – a França queria retomar sua antiga colônia –, acabou entrando num quadro mais complexo no imediato pós-guerra: para os Estados Unidos, esta era uma luta global entre o “mundo livre” democrático e a opressão comunista. Os norte-americanos começariam a financiar o esforço de guerra francês.

As forças francesas na Indochina foram derrotadas na batalha de Dien Bien Phu, em 1954 (batalha esta que começara em novembro de 1953), o que levaria as partes em guerra à mesa de negociações em Genebra, negociações estas, iniciadas em 8 de maio e encerradas em 21 de julho de 1954, que dividiram a península da Indochina em quatro países: Vietnã do Norte (sob a liderança do Vietminh), Vietnã do Sul (que seria apoiado pelos Estados Unidos), Laos e Camboja. A divisão do Vietnã, na altura do paralelo 17, seria temporária, sendo que o destino dessa divisão seria decidido numa futura eleição, que indicaria os rumos da reunificação dos dois Vietnãs.

Os Estados Unidos fizeram todos os esforços possíveis para que o Vietnã do Sul fosse um regime estável, pró-ocidental e que pudesse se defender caso o Vietnã do Norte resolvesse iniciar uma luta para a reunificação. Mas o governo que assumiu o Vietnã do Sul em 1954, de Ngo Dinh Diem (inicialmente como primeiro-ministro do imperador Bao Dai, depois como presidente), apresentava duas características básicas: corrupção e incompetência. No final da década de 50, os ataques guerrilheiros para unificar o país foram sendo retomados no Vietnã do Sul. Em dezembro 1960, foi criada a Frente de Libertação Nacional (FLN), organização nacionalista (como no Vietminh, nem todos eram comunistas) que visava a reunificação do país e era apoiada pelo Vietnã do Norte. Os guerrilheiros da FLN acabariam conhecidos como Vietcong. O governo Dwight Eisenhower (1953-1960) logo estaria mandando 200 conselheiros militares por volta de 1960 – a situação do Vietnã do Sul agravara-se. O número de conselheiros militares iria aumentar durante o governo de John Kennedy (1961-1963).

A impopularidade do regime de Diem confirmou-se na crise do governo com os budistas. Depois de alguns confrontos violentos entre as forças de Diem e seitas budistas, no dia 11 de junho de 1963, aconteceu um fato marcante: um monge budista ateou-se fogo. A fotografia deste incidente, tirada por Malcowm Browe, seria uma das mais famosas do século XX, colocando o Vietnã nas primeiras páginas dos jornais do mundo inteiro.

Ainda em 1963, Diem não resistiu às pressões, sendo deposto e morto. Um mês depois do assassinato de Diem, Kennedy também encontraria a morte ao ser assassinado em Dallas (22/11/1963), sendo substituído pelo vice-presidente Lyndon Johnson, que aplicaria uma política mais radical na questão vietnamita. Logo, Johnson ordenou que aviões, secretamente, recolhessem informações sobre o Vietnã do Norte. A situação do Vietnã do Sul era a pior possível, já que poderia ser dominado pelo Vietcong em questão de meses. O Incidente de Tonquin fez com que os Estados Unidos entrassem definitivamente na guerra.

Os norte-americanos iriam se retirar definitivamente do Vietnã em 1973 e a guerra, tendo como resultado a reunificação do país pelos comunistas, acabaria apenas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *