O Japão – História Resumo

O Japão fica no extremo leste da Ásia e suas características naturais são muito adversas. Seu território de 377 947 km² está localizado em uma área conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, onde há atividade tectônica intensa. Essa posição confere ao país um relevo quase inteiramente formado por dobramentos modernos, com diversas montanhas e pouquíssimas planícies.

A densidade demográfica japonesa é uma das maiores do mundo. Tóquio, capital do Japão, é a cidade que tem a maior população do mundo, aproximadamente 38 milhões de habitantes em sua região metropolitana, enquanto o país tem 127 milhões no total.

O Japão tem a terceira maior economia do mundo, Foi a primeira nação não europeia a ser considerada desenvolvida e passou por todas as revoluções industriais, sendo, o principal líder da terceira.

Esse elevado desenvolvimento teve origem no século XIX, quando o país passou por um período de intensa modernização política, econômica e estrutural, A Era Meiji se caracterizou por grande movimento de modernização em todas as esferas econômico-sociais. O sistema educacional passou por uma verdadeira revolução. O país enviou milhares de estudantes para os Estados Unidos e para a Europa. Especialistas de todas as áreas foram contratados para promover avanços nas ciências: Matemática, tecnologia e línguas estrangeiras.

Os Estados Unidos ocuparam o Japão entre 1945 e 1952. Com o início da Guerra Fria em 1947, o país foi usado como uma das principais vitrines do capitalismo estadunidense no mundo.

O país recebeu volumosos empréstimos, como parte de um plano de ajuda conhecido como Plano Colombo. A intenção dos Estados Unidos era afastar o Japão das influências soviética e chinesa e, para isso, tornaram-se o principal parceiro comercial japonês e definiram os rumos da política econômica do país.

No fim da década de 1960, o Japão era uma potência mundial. Esse crescimento rápido ficou conhecido como milagre japonês. O Estado estimulava a indústria nacional com estratégias protecionistas, oferecendo subsídios e aumentando as tarifas de importação o país apresenta a maior expectativa de vida do mundo, de 86 anos para as mulheres e 80 anos para os homens.

A escassez de recursos naturais impôs a necessidade de promover altos investimentos em infraestrutura e em tecnologia avançada. A produção nacional baseia-se em itens de alta tecnologia e muito valor agregado: informática, produtos eletrônicos, veículos, materiais elétricos, produtos químicos, etc. O país também investe pesadamente na qualificação de sua mão de obra.