Monges Copistas – Quem eram? O que faziam? Como sumiram?

Quem eram os Monges Copistas?

Os Monges Copistas marcaram época durante séculos, prestando um serviço que hoje possuímos na palma de nossas mãos de maneira automatizada e eletrônica.

Olá, tudo bem?

Hoje falaremos um pouco mais sobre a trajetória dos monges copistas aqui na Terra, que serviram de grande valia pelo trabalho realizado durante séculos.

Você já se imaginou esperando até um mês pela cópia de um livro que seu professor passou, ou então algum boleto demorando uma semana pra ficar pronto?

É claro, na época não existiam boletos, mas os tributos eram bem altos se comparados aos cobrados hoje, que já são exorbitantes.

Pois é, saiba que séculos atrás a tecnologia não era existente como hoje no mundo, e eram necessários “profissionais copiadores” pra auxiliar nesse processo de reprodução.

Quem eram?

Os copistas, monges católicos que escreveram os nomes deles pra história ao oferecerem um serviço tão nobre por tantos anos.

Pensando nisso, resolvemos montar um conteúdo exclusivo a fim de te contar um pouquinho mais da história desses monges copiadores.

Portanto, caso queira saber que fim levaram os Monges Copistas, acompanhe-nos até o final e deixe seu comentário.

Afinal, sua opinião é de suma importância para que continuemos a trazer um conteúdo de extrema qualidade aqui pro nosso blog.

Sem maiores delongas, vamos lá. Leia conosco!

Quem eram os Monges Copistas?

Quem eram os Monges Copistas?
Quem eram os Monges Copistas?

Antes de entrarmos em qualquer outro tópico do assunto, é necessário entendermos quem eram os copistas, e quando eles atuaram.

Um monge nada mais é do que um religioso que vive comunitariamente em um monastério, local religioso de alguma igreja em específico, onde se praticam orações e trabalhos rotineiros.

Os copistas então, eram monges que trabalhavam em períodos contrário ao de orações, na divulgação da teologia da igreja católica.

Os monges copiadores viveram entre os séculos V até XV, considerados como altamente cultos pela capacidade de ler e escrever, já que eram copistas.

Vale ressaltar que obviamente existia um motivo para tal ação. Primeiramente, a igreja católica precisava distribuir livros a pessoas específicas que podiam ler, como os nobres.

E em segundo lugar, os monges copiadores agiam de forma voluntária, pois acreditavam que estavam se aproximando de Deus, pois consideravam aquele como um serviço prestado ao mesmo.

O que faziam os Monges Copistas?

O que eles faziam?
O que eles faziam?

Bom, que eles receberam o nome de copiadores, já deu pra perceber pelo pseudônimo que carregam, mas qual era a principal função desses monges?

Os monges copistas trabalhavam literalmente como uma impressora humana, uma copiadora, porém mais lenta do que essa que conhecemos hoje.

Em plena Idade Média, onde ler e escrever era algo extremamente restrito, os monges copistas atuavam fazendo cópias de livros especiais.

Como você deve imaginar, o processo dava bastante trabalho, o que fazia que, portanto, o preço dessas cópias fossem altamente caras, dado a sua demanda e cuidado na produção.

As escritas funcionavam sobre pergaminhos, estes que eram feitos de pele de carneiro ou cabra. Os monges copistas copiavam e escreviam sobre estas páginas utilizando penas de ganso e tintas.

Além disso, costumavam decorar as laterais e bordas das páginas dos pergaminhos com gravura, o que marca ainda mais a dedicação dos mesmos.

A Origem da Palavra Escritório

Sabia que o escritório que você trabalha hoje tem influência dos monges copiadores de séculos atrás? Pois é, eles quem nomearam este cômodo do seu trabalho que hoje é tão importante.

O trabalho de cópia manuscrita exercido pelos monges copiadores era feito em um quarto especial do mosteiro, chamado de scriptorium. A terminologia em latim criou o que conhecemos hoje por escritório.

Renascimento e o fim dos Monges Copistas

Chegada do Renascimento
Chegada do Renascimento

O período do Renascimento com certeza foi uma época que mudou totalmente o mundo, sendo muito importante pra evolução humana.

Os monges copistas começaram a sumir do cenário da escrita por volta do século XV, quando a Igreja perdeu sua força no período conhecido como Renascimento, marcado por revoluções, mas principalmente, invenções.

Enquanto no ocidente os países estavam alienados pelo poder da igreja, abrindo-se aos poucos, no oriente uma tal de China acabara de criar algo conhecido pelo nome de papel.

Ali, começava-se a mudança. Afinal, a invenção já era barata e facilmente encontrada, de bom manuseio e recorte, acelerando todo o processo de produção.

Quem terminou de afundar com os monges copistas foi Johannes Gutenberg, um alemão que trouxe o papel até o ocidente, mais especificamente até a Alemanha, seu país natal.

A partir daí, Gutenberg ficou marcado por ser um revolucionador da imprensa, e por disseminar o papel por toda a Europa e ocidente.

O tempo passou e a necessidade do trabalho dos monges copistas foi cada vez menor, o que fez com que os mesmos fossem extinguidos do cenário da escrita.

Johannes Gutenberg
Johannes Gutenberg

E então, o que achou de conhecer um pouco mais sobre a trajetória dos Monges Copistas? Assim como tudo no mundo, a tecnologia avança e certos serviços são deixados pra trás.

Lembra da internet discada? Ela sumiu, hoje nem se é mais necessário um fio pra ter internet. As coisas mudam e algumas somem, assim também foi o trabalho dos copiadores monges.

Qual sua opinião sobre eles? Conte a nós, comente abaixo. Até a próxima!

Monges Copistas – Quem eram? O que faziam? Como sumiram?
Rolar para o topo