Luis Fernando Verissimo (Biografia)

Luis Fernando Verissimo

Luis Fernando Verissimo. Escritor brasileiro, famoso por suas crônicas e contos de humor.

Sumário
1 síntese biográfica
1.1 estudos
1.2 Trajetória artística e literária
2 principais obras
3 fontes

Nascimento 26 de de 1936
Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Bandeira do Brasil Brasil
Ocupação Escritor, cronista, humorista
Nacionalidade Brasileira
Gênero Contos, romances
Cônjuge Lucia Helena Massa
Prêmios Prêmio de Deus oceanos do Festival da Cultura Latina de Biarritz, França Prêmio Juca Pato

Síntese biográfica
Nasceu em 26 de setembro de 1936 em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, Brasil. Seus pais O escritor Erico Verissimo e Mafalda Halfen Volpe.

Estudos
Em 1941, sua família se mudou para os Estados Unidos, onde completou a escola primária em São Francisco e Los Angeles.

Cursou na Escola Secundária Roosevelt, em Washington.

Desenvolveu um gosto pelo jazz, chegando a ter aulas de Saxofone.

Trajetória artística e literária
Em 1956, de volta ao Brasil, voltou a Porto Alegre, onde começou a trabalhar na Editora Globo, no departamento de Arte.

Em 1960, ele se juntou ao grupo musical Renato e seu sexteto.

Mais tarde, ele se mudou para o Rio de Janeiro, onde trabalhou como tradutor e redator.

Em 1967, regressou a Porto Alegre e juntou – se ao diário Zero Hora, trabalhando como revisor de textos.

A partir de 1969 ele começou a assinar sua própria coluna diária.

Entre 1970 e 1975, escreveu, para o jornal Folha Da Manha acerca dos esportes, da música, da literatura e da política, sempre em chave de humor.

Em 1975 voltou a Zero Hora e dedicou-se a escrever para o jornal do Brasil.

Em 1979, ele publica “Ed Mort”, cujo personagem se tornaria um dos mais populares de seu trabalho.

Entre 1980 e 1981 ele viveu em Nova York, e escreveu ” traçando Nova York.”

Entre 1982 e 1989, foi editor com frequência semanal de artigos humorísticos para a revista Veja.

Em 1995 ele se juntou a um grupo de Jazz e lançou o CD ” o tempo é agora”

Em 1997, foi considerado como o intelectual do ano pela União Brasileira de Escritores.

Em 2003, ele publica seu livro “the Los Angeles club”, foi escolhido pela Biblioteca Pública de Nova York, como um dos 25 melhores livros do ano.

Recebeu o prêmio de Deus oceanos do Festival da Cultura Latina de Biarritz, França, e o Prêmio Juca Pato.

Em 2013, ele escreve sua primeira coluna para o jornal Estado de São Paulo.

Principais obras
Pessoas, crônica, 1973
O Grande Nu, crônica, 1975
Brasileiro, crônica, 1977
O Rei do Rock, crônica, 1978
Ed Mort e outros contos, ensaios, 1979
Sexo na cabeça, crônica, 1980
O Bagé Analyst, crónica, 1981
O quadro Flying, crónica, 1982
A Velha Senhora de Taubaté, crônica, 1983
A mulher Silva, crônica, 1984
A mãe de Freud, crônica, 1985
O marido doutor Pompeu, crônica, 1987
Noites Bogart, crônica, 1988
Orgia, crônica, 1989
Pai não entende nada, crônica, 1990
O Santinho, crônica, 1991
Humor em Collor Times, crônica, 1992
Comédias da vida privada, crônica, 1994
Comédias vida Pública, crônica, 1995
Novas Comédias da vida privada, crônica, 1997
Gula – O clube dos Anjos, romance, 1998
Isso dia estranho que Nunca é suficiente, crônica, 1999
Festa infantil, juvenil, 2000
Tudo Bage Analista, contos, 2002
O adversário, romance, 2004
Noite Dos Reis, romance, 2006
Mais comédias de ler se na faculdade, contos, 2008
Spies, romance, 2009

Luis Fernando Verissimo (Biografia)
Rolar para o topo