Joaquim Maria Machado de Assis (Biografia)

Joaquim Maria Machado de Assis

Joaquim Maria Machado de Assis. Escritor brasileiro.

Sumário
1 síntese biográfica
1.1 Infância e Juventude
2 trajetória literária
2.1 morte
3 Obras
3.1 Romances
4 Teatro
4.1 poesia
5 Fontes

Nascimento 21 de de 1839
Rio de Janeiro, Bandeira do Brasil Brasil
Morte 29 de agosto de 1908
Rio de Janeiro, Bandeira do Brasil Brasil
Ocupação Escritor brasileiro
Nacionalidade Brasileira
Gênero Narrativa, Teatro, poesia, Romances
Cônjuge Carolina Augusta Xavier e Novais

Síntese biográfica
Nasceu em 21 de junho de 1839, no Rio de Janeiro, filho de um pintor mulato e de uma lavadeira portuguesa.

Infância e Juventude
Os primeiros anos de vida passaram em uma casa de campo, sua saúde era muito frágil e, ao contrário de outras crianças de sua idade, não frequentava a escola com frequência.

Ainda pequeno sofreu a perda de sua mãe e de sua irmã mais nova, porém conseguiu aprender,tentando subsistir por seus próprios meios, e assim chegou a se tornar um dos intelectuais mais reconhecidos do país.

Em 1851 perdeu seu pai e começou a aprender de forma autodidata, a dominar o francês, o inglês e o alemão, idiomas que lhe permitiram desenvolver sua faceta de tradutor de obras como “o corvo”, de Edgar Allan Poe e” os trabalhadores do mar”, de Victor Hugo.

Trajetória literária
Seduzido pelo mundo das letras, começou a somar experiência no âmbito Literário a partir de seu trabalho em diversos jornais e na Gráfica oficial do Rio de Janeiro.

Neste contexto, publica o poema ” Ela “na revista ” Marmota Fluminense”, soube destacar-se como cronista, contista e até como crítico literário.

Em 1864, ele publicou a coleção de poemas intitulada ” Crisálidas”

Em 1869 ele já era um autor valorizado, seus escritos mais conhecidos são baseados na tradição européia; seus estudos psicológicos, principalmente enquadrados em um tom pessimista.

Na década de 70 alternou suas atividades literárias com as de funcionário e assim foi que, enquanto apareciam obras de perfil Romântico, tinha um cargo no Ministério de Agricultura, Comércio e Obras Públicas e com o decorrer dos anos, chegou a ser diretor do Ministério de Transportes e Obras Públicas.

Sua primeira obra narrativa era de caráter romântico, mas a partir de 1881, com a publicação de Memórias póstumas de Blas Cubas, marcou o início do realismo no Brasil.

As principais características de suas obras são introspecção, humor e pessimismo em relação à essência do homem, e seu comportamento com o mundo.

Em 1897 fundou a Academia Brasileira das Letras, e tornou-se seu presidente até sua morte.

Morte
Faleceu em 29 de agosto de 1908 no Rio de Janeiro.

Obras
Romances
Ressurreição, (1872)
A maioria e a Luva, (1874)
Helena, (1876)
Iaiá Garcia, (1878)
Memórias Póstumas de Brás Cubas (1881)
Quincas Borba (1891)
Dom Casmurro, (1900)
Esaú e Jacó, (1904)
Memorial de Aires, (1908)
Contos: Contos Fluminenses, (1870)
História da Meia-Noite, (1873)
Papeis Avulsos, (1882)
Histórias sem Data (1884)
Várias Histórias, (1896)
Páginas Recolhidas, (1899)
Relíquias de Casa Velha, (1906)
Crônica: Por Semana, (1914)
Teatro
Desencantos, (1861)
Resta que as Mulheres Têm cabelos Tolos, (1861)
O Caminho da Porta, (1863)
O Protocolo, (1863)
“Quase Ministro, (1864)
Uma ode a Anacreonte, (1870)
Poesia
Crisálidas (1864)
Falenas, (1870)
Americanos, (1875)
Ocidentais, (1901)
Poesias Completas (1901)

Joaquim Maria Machado de Assis (Biografia)
Rolar para o topo