A antiga rivalidade entre franceses e ingleses começou no século XIV e praticamente não abrandou até o século XX! Durante a Alta Idade Média, tanto os ingleses quanto os franceses pertenciam à Igreja Católica Romana. Rivalidades comerciais e entre dinastias se agravaram e fizeram surgir uma guerra que durou mais de cinco gerações.
O último dos reis capetos da França morreu em 1337. O rei Eduardo III (1312 – 1377) da Inglaterra reivindicou o trono da França, mas os nobres franceses deram o título a Felipe de Valois, que deu início à dinastia Valois. Os dois países também competiam pelo controle comercial da região conhecida como Flandres, atual Bélgica, onde o comércio de lã era competitivo e lucrativo. Por essas razões, Inglaterra e França foram à guerra em 1340.
A França tinha uma população quatro a cinco vezes maior que a da Inglaterra e seus cavaleiros tinham a tradição militar mais antiga e distinta da Europa. Os ingleses tinham dois pontos fortes: o controle marítimo e o arco de flecha. Controlar o Canal da Mancha significava que o rei Eduardo III poderia invadir a França quando quisesse, enquanto o arco neutralizava o poder dos cavaleiros franceses, que por tanto tempo haviam dominado as guerras da Europa medieval. Um arqueiro inglês bem treinado podia acertar as fendas da armadura de um cavaleiro a uma distância de duzentos metros. Também podia atirar várias flechas por minuto. A balista, usada pelos franceses, levava muito mais tempo para ser armada.

Joana d’Arc.
As batalhas mais importantes foram vencidas pelos ingleses: pequenos exércitos ingleses derrotaram armadas francesas muito maiores em Crécy, em 1346, Poitiers, em 1356, e em Agincourt, em 1415. Os ingleses tomaram posse de grandes regiões rurais da França e, após Agincourt, passaram a controlar Paris por vários anos. O delfim não coroado da França, Carlos VII (1403 – 1461), retirou-se para uma França reduzida, ao sul do rio Loire. As coisas pareciam deprimentes para a França até que uma camponesa de 17 anos de idade surgiu como nova defensora da monarquia Valois e do povo francês. Filha de um dono de estalagem, Joana d’Arc (1412 – 1431) comandou tropas francesas na vitória de Orléans, em 1429, e depois escoltou o delfim à Catedral de Reims, onde ele foi coroado e designado rei da França. Joana foi capturada um ano depois pelos borgonheses (facção francesa que ficou do lado da Inglaterra) e queimada viva após ser condenada por bruxaria por um tribunal da igreja.
Sua coragem havia unificado os franceses e dado-lhes nova esperança. Usando uma inovação militar – os primeiros canhões da Europa -, os franceses lentamente empurraram os ingleses para fora de Paris e do noroeste da França. As últimas batalhas ocorreram na Normandia, em 1453: quando terminaram, a França havia se tornado verdadeiramente francesa e os dois países haviam desenvolvido uma animosidade que duraria séculos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *