História do Governo Lula (Luiz Inácio Lula da Silva)

A eleição de 2002 foi marcada pela divisão na base de sustentação política do governo FHC, que perdera o apoio de parte dos aliados históricos, como o PMDB, o PFL e o PTB. Já o Partido dos Trabalhadores fará a opção por ampliar as alianças com setores conservadores recebendo o apoio de políticos como, Antônio Carlos Magalhães e José Sarney e entregando o cargo de vice-presidente para José Alencar, senador do PL, selando assim a coligação vitoriosa no 2º turno.

Pela primeira vez na história contemporânea brasileira, a transição do poder se dá de forma tranquila e com ampla colaboração do governo FHC.

O primeiro grande anúncio do governo Lula foi o Programa Fome Zero, que visa eliminar a fome do povo brasileiro numa ação conjugada com um processo de alfabetização dos beneficiados, além do incentivo à agricultura familiar e da reforma agrária para que no futuro não haja mais a necessidade de campanhas assistencialistas. O programa esta em fase de estruturação e recebe críticas dos setores de oposição, porém, esta é a primeira vez em nossa história que o governo elege como prioridade matar a fome que assola a população brasileira desde o início do processo de colonização.

O governo tem se articulado para garantir a maioria no congresso nacional ampliando, assim, a aproximação com os setores conservadores, o que fica explicito no acordo com o PMDB, para a aprovação das reformas. Outro fato importante foi a manutenção do acordo firmado com o FMI durante o governo anterior. Estes fatos serviram para levantar uma oposição interna no PT, os chamados radicais que tem gerado muita polêmica em torno do desvio de programa do partido. Este grupo tem sido liderado pela senadora Eloísa Helena e pelo deputado Babá. O apoio internacional ao governo Lula tem sido intenso. Elogios do Grupo dos 7 mais ricos do planeta, de grandes líderes mundiais, no encontro em Davos, na Suíça, com os países desenvolvidos e até mesmo pelo FMI. A queda do processo inflacionário e a conseqüente queda do risco Brasil auxiliam nesta lua de mel, tanto fora quanto dentro do país, com o apoio de empresários e do povo.

As tão prometidas reformas se iniciaram com o encaminhamento do projeto de lei nº 9, que prevê a criação da previdência complementar e do teto para a aposentadoria, iniciando a reforma previdenciária. As principais reações vieram dos funcionários públicos que fizeram protestos e os da previdência social iniciaram uma greve que durou até a aprovação da proposta na Câmara dos Deputados. A outra reação que acabou por garantir uma menor perda de privilégios, foi a ameaça de greve dos magistrados, proposta que dividiu o próprio poder judiciário quanto a legalidade do suposto movimento.

A outra proposta de reforma aprovada na Câmara dos Deputados foi a tributária, que também enfrentou uma forte resistência dos governadores e dos empresários produzindo uma negociação muito mais dura entre o governo e as partes interessadas.

Os últimos fatos históricos de seu governo foram o aumento do salário mínimo para 240,00 reais e o irrisório aumento de 1% linear para o servidor público (que pode chegar até a 10% para os menores salários) e mais um bônus de 59,00 reais; os programas de primeiro emprego para os jovens, da alfabetização, além do micro-crédito, que deverá injetar 2 milhões de reais, em espécie, na economia brasileira nos últimos meses do ano de 2003; e, ainda, o anúncio do início de grandes obras, tais como a transposição do rio São Francisco, a recuperação das estradas federais e a construção de usinas hidrelétricas.

História do Governo Lula (Luiz Inácio Lula da Silva)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para o topo