Monções: expedições de comércio

As jazidas de ouro descobertas encontra- vam-se em lugares isolados, distantes do litoral. A notícia rapidamente se espalhou, e a possibilidade de enriquecimento com a mineração atraiu milhares de pessoas para essas regiões em busca do precioso metal. Com o objetivo de« atender às necessidades de abastecimento dessas pessoas, foram organizadas expedições denominadas monções. Em canoas carregadas de mercadorias (alimentos, roupas e outros produtos), as monções subiam e desciam os rios de São Paulo, Mato Grosso e Goiás; além de abastecer as regiões mineradoras, mantinham a comunicação e o transporte entre elas.
O caminho percorrido pela bandeira de Fernão Dias foi, posteriormente, seguido por outros bandeirantes, que, no final do século XVII, acabaram encontrando ouro em Minas Gerais.
Dentre os principais bandeirantes que participaram das descobertas de jazidas de ouro no Brasil, destacam-se:
• Antônio Rodrigo Arzão – descobriu ouro em Minas Gerais, por volta de 1693;
• Pascoal Moreira Cabral – descobriu ouro em Mato Grosso, por volta de 1719;
• Bartolomeu Bueno da Silva – descobriu ouro em Goiás, por volta de 1725.

Os jesuítas eram sacerdotes pertencentes à Companhia de Jesus ou Ordem Jesuítica, fundada na Europa por Inácio de Loyola, em 1534. Entre os objetivos dos jesuítas estava a divulgação da religião católica pelo mundo. A ordem procurava fazer de seus sacerdotes uma espécie de “soldados do catolicismo”. Foi com essa intenção que, em 29 de março de 1549, desembarcou na Baía de Todosos- Santos o primeiro grupo de jesuítas, chefiados por Manoel da Nóbrega.


Desde os primeiros tempos, os jesuítas dedicaram-se à catequização dos indígenas e, nesse trabalho, combatiam os costumes e as tradições indígenas que se chocavam com o cristianismo, como a antropofagia, a poligamia, a nudez, a crença nos rituais dos pajés etc. Para a catequização, os jesuítas obtiveram dos governantes a concessão de sesmarias, onde foram construídos aldeamentos (ou missões) que reuniam os indígenas. À medida que os grupos indígenas se afastavam do litoral, fugindo das invasões de suas terras, os jesuítas também seguiam para o interior do território, fundando, entre os séculos XVII e XVIII, aldeamentos na
Amazônia e no sul e sudeste do Brasil atual.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *