Carlos Juliano Torres Pastorino (Biografia)

Carlos Juliano Torres Pastorino

Carlos Juliano Torres Pastorino (Rio de Janeiro, 4 de novembro de 1910 – Brasília, 13 de junho de 1980) foi um ex-exsacerdote, jornalista e escritor brasileiro. Dedicou-se ao estudo do espiritismo e escreveu o livro de autoajuda mais vendido em seu país: minutos de sabedoria.

Nascimento 4 de de 1910
cidade do Rio de Janeiro,
Brasil Bandeira do Brasil
Morte 13 de junho de 1980
cidade de Brasília,
Brasil Bandeira do Brasil
Nacionalidade brasileira
Ocupação sacerdote, médium espiritista, escritor Sobre espiritismo, Jornalista de rádio

Sumário
1 inícios
2 trabalho educativo
3 trabalho realizado
4 fontes
Inícios
Filho de José e de Eugenia Torres Pastorino. Desde criança mostrou inteligência incomum e vocação pela vida eclesiástica em apenas 14 anos de idade, em 1924, recebeu os diplomas de Geografia e Cosmografia no Colégio D. Pedro II e pouco depois, nesse mesmo ano, uma licenciatura em português, da mesma universidade. Ele viajou para Roma para participar do seminário, onde, em 1929, ele era um graduado do Cardeal Basílio Pompili, por tonsure ordem Menor. Formou-se em Filosofia e Teologia em 1932 e foi ordenado sacerdote em 1934.

Ele abandonou a vida eclesiástica da Igreja Católica Romana, enquanto em 1937, aguardando a promoção em Deacon. Ele ficou surpreso com a recusa do Papa Pio XII, ao receber o Mahatma Gandhi em seu traje tradicional branco. O Colégio Cardinalício exigiu que o grande líder da Índia usava casaco, para não quebrar a tradição de entrevistas com chefes de Estado. O Pr. Pastorino, em sua recusa, imaginou que Jesus visitou o Vaticano, não iria se encontrar com o Papa porque ele se vestia de uma forma semelhante a Gandhi, e nunca se sujeitou ao rigor exigido pela Igreja.

Trabalho educativo
Ele imediatamente retornou ao Brasil e desenvolveu uma intensa atividade educacional. Ingressou no Instituto Italo-Brasileiro de alta Cultura, como professor de latim e grego, cargo que ocupou de 1937 a 1941. Em 1938, ele recebeu o registro de Professor de Psicologia, Lógica e História da filosofia do Ensino Secundário. Ele também foi professor de espanhol.

Em conjunto com o magistério exerceu a atividade jornalística, como correspondente da Associated Newspapers. Cultural e de imprensa foi a Academia Brasileira de Belas Artes. Membro de numerosas sociedades de Esperanto, no Brasil e no exterior. Delegado Especializado (Faka delegito) Esperanto Asocio Universidade, com sede nos Países Baixos foi o fundador da Sociedade Brasileira de Esperanto, no Rio de Janeiro. A sua bibliografia é extensa, com mais de 50 livros publicados e muitos outros inéditos.

Escritor, jornalista, dramaturgo, locutor, historiador, filólogo, filósofo, professor, lingüista, poeta e compositor. Fluentemente falava várias línguas, legou numerosos livros didáticos. Traduzido obras de vários autores clássicos ingleses, franceses, espanhóis, italianos, gregos e latinos.

31 de maio de 1950, terminou de ler o Livro dos Espíritos, de Allan Kardec, que recebeu um empréstimo de um membro do Colégio D. Pedro II. Esse dia foi declarado data espiritualista que guardava com muito cuidado. Fomos ao centro Espiritual Júlio César, em Grajaú, que foi sua escola inicial de espiritismo. Em 8 de janeiro de 1951, com um grupo de companheiros abnegados, fundou o Grupo Espírita Boa Vontade, mais tarde mudado para Spiritus grupo de estudo, para evitar confusões com a Legião da Boa Vontade.

Em Spiritus grupo de estudo, nasceu de Lar Fabiano de Cristo, o boletim SEI (serviço Espírita de informação). Fundada esta livraria sabedoria e Editorial revista com o mesmo nome, a prestação de serviços correspondentes à doutrina, o terreno cultural. O professor Carlos Torres Pastorino realizou muitas palestras no Rio de Janeiro e em vários outros estados. Ativamente do Congresso, semanas espíritas, simpósios, cursos e participou de muitos outros eventos. Tornou-se membro de numerosas instituições espíritas e colaborou com a imprensa espiritualista nacional e estrangeira. Sua vasta literatura espírita, destaca Acta da sabedoria, que bate todos os recordes de bandagem, já em várias edições da sabedoria do Evangelho, publicadas em fascículos na sabedoria de mediunidade e Técnicas da revista, um excelente livro sobre o tema.

O grande sonho do professor Pastorino era criar uma universidade livre, para ensinar sabedoria. Em 1973 recebeu a doação do Dr. Miguel Luz, famoso médico de São Paulo, agora desencarnado, magnifico terreno em uma área suburbana de Brasília, chamado Park Way, onde começou a trabalhar na Universidade.

Trabalho realizado
Publicou uma extensa bibliografia de mais de 50 obras, muitas delas inéditas. Multilingue, traduziu obras de muitas línguas. Foi divulgada também na rádio, com sua obra magna “Minutos de Sabedoria” uma coleção de suas mensagens. Ele compôs 31 peças musicais para piano, Orquestra, quarteto de cordas e a polifonia de três e quatro vozes. Entre suas obras destacam-se: ato da sabedoria 1966 seu filho, sua vida 1966 sua mente, sua vida 1966 Técnica da mediunidade 1968 a sabedoria do Evangelho (vários volumes). O livro “Minutos de Sabedoria” ultrapassou os 9 milhões de cópias vendidas, foi para a recorrência em mais de dois anos consecutivos, caiu da lista elaborada pela revista Veja, bestseller. A obra, original destinado a subsidiar a assistência social e educativa obra do professor Pastorino. Em “a técnica da mediunidade” abordagens, faz-se uso de numerosos quadros comparativos, com uma perspectiva cientificista, o fenômeno psíquico.

O trabalho, publicado em 1968, teve suas edições póstumas proibidas pela família. Nele, o autor dá conta da mediunidade, As vibrações, ondas, correntes utilizadas na mediunidade são as ondas e correntes de pensamento. Quanto mais fortes e altos pensamentos, maior e menor frequência de comprimento de onda de vibração. Tudo faz perceber a absoluta necessidade de manter a mente em ondas, ou seja, com altos pensamentos, orações e emissões podem chegar aos espíritos que estão nas camadas mais altas. ‘ “

Carlos Juliano Torres Pastorino (Biografia)
Rolar para o topo