Calendário Cristão – A Historia dos Calendários

Origem do Calendário Cristão

O que é o Calendário Cristão e como ele surgiu, os grandes segredos da origem do calendário do cristianismo, saiba tudo sobre nossa atual forma de registro de tempo.

Calendário Cristão
Calendário Cristão

As sociedades ao longo da historia tem grande necessidade da marcação de tempo ou registro de tempo, os meios mais comuns utilizados pelo homem sempre envolvia ciclos da natureza, já que estes eram referencias em todo o planeta, se tornado padrão para um maior numero de pessoas e povos.

Como Surgiu o Calendário Cristão

A palavra calendário tem sua origem no inicio do império Romano, mais especificamente na Roma Antiga, a palavra vem da referencia “Calendae”, palavra da língua latim, que serve para determinar o primeiro dia da lua nova.

O primeiro dia da lua nova foi escolhida para iniciar o ciclo de 12 meses, assim os romanos criaram o substantivo calendário, passando assim a definir o registro de todas os dias do ciclo de 12 meses.

Os povos Romanos criaram o “lunaris calendar” ou calendário lunar, utilizando como base para registro da passagem do tempo as quatro fases lunar, estudiosos da época perceberam a eficácia das fases da natureza como medida de tempo, ou seja, o sistema lunar foi a primeira referencia na contagem de tempo da humanidade.
Foi em 45 antes de cristo com o imperador de Roma Júlio Cesar, que o sistema lunar, utilizado até então para registrava a passagem do tempo baseado nas quatro fases da lua deixou de ser empregado.

O imperador Júlio Cesar, implantou em todo o império Romano o sistema de calendário baseado configurado em meses, denominado como “Calendário Juliano”.

Já para os povos nativos americanos, o povo Tupi, era utilizado o sistema de ciclos da lua, das estrelas e das estações do ano, sendo duas estações a primavera e o verão eram chamados de arapyau o outono e inverno era chamado de yaraimã.
Aqui nas américas os povos nativos tribos indígenas como os Tupis para marcar as suas incumbências de pesca, caça e principalmente a colheita e o plantio, faziam uso de calendários de acordo com a observação das estrelas, o dia tinha 365 dias, esse tipo de marcação de tempo era fundamental também para os rituais religiosos dos Tupis.

Qual é o sistema de calendário mais antigo do mundo? a resposta é o calendário da civilização babilônica, com características semelhantes as que usamos hoje, no calendário babilônico existia doze meses, cada um dos meses tinha em média trinta dias, entretanto a base se formava observando os quatro ciclos do sistema lunar.
Para não ficar com os dias desatualizados, os babilônicos acrescentavam um mês a cada três anos, assim a cada três anos existia 13 meses no calendário, tudo isso para acompanhar as estações da natureza.

Os principais calendários utilizados no mundo atualmente é o calendário cristão, o calendário islâmico e o calendário judaico, mas não são esses três os únicos utilizados no planeta, outros povos utilizam de diversas formas de contagem de tempo diferentes, no total são mais de quarenta calendários em uso no globo.

A religião é um dos maiores influenciadores dos sistemas de calendários criados em toda a historia, os povos acreditavam que os deuses eram o regentes do tempo.

A Origem do Calendário Cristão

Origem do Calendário Cristão
Origem do Calendário Cristão

A origem do calendário cristão é por causa dos problemas do antigo sistema utilizado, o sistema juliano que não sincronizava os dias do ano com as estações.

Os equinócios são os momentos que o sol passa na linha do equador e dividi o dia e a noite em horas iguais.

A Igreja Católica pretendia demarcar o dia 21 do mês de marco condizente com o equinócio da primavera .

O equinócio é o tempo que o dia e a noite tem as mesmas 12 horas, e nesta dia que o sol passa na linha do equador.
Os equinócios só acontecem em março e no mês de setembro, os momentos também divide a mudança das estações do ano.
No mês de março equinócio demarca a chegada a primavera no na parte norte e outono no na parte sul do planeta terra.
No mês de setembro o equinócio da especifica a chegada do outono na região norte do planeta e a primavera na parte sul do globo.
Apensar da intenção da igreja católica o equinócio da primavera muda a cada ano, sendo obrigada a dispensar o calendário juliano, utilizado na época.
A origem do calendário cristão foi com Gregório XIII quando era papa e ordenou uma reforma no antigo calendário juliano na época.

Especificamente no ano de 1582 surgiu o calendário cristão, ano em que o papa Gregório XIII mandou substituir o calendário juliano.

O nascimento de Jesus Cristo seria o marco do ano zero no calendário cristão, foi sugerido no século VI por Denis O Pequeno, ficando assim marcado como antes de cristo (a.c) e depois de cristo (d.c). Como já mencionamos anteriormente as influências religiosas e de crença são marcantes na origem dos calendários.

Denis O Pequeno definiu erroneamente que o ano de 754 do calendário Romano era o ano zero do calendário cristão, foi nesse ano que segundo o monge no dia 25 de março que Cristo nascera.
Um grande erro de cálculo de Denis “O Pequeno”, no ano de 754 o Rei Herodes já havia falecido, assim, os historiadores recalcularam o nascimento de Jesus Cristo entre o ano de 8 e 4, muito provavelmente mais certo seria dizer entre os anos de 7 e 6.

O Rei da França Carlos IX, designou em 1565, que o ano iria iniciar no dia 1 do mês de janeiro, medida que só foi acatada pelo papa Gregorio XIII, em 1581 com a reforma do calendário juliano.

O sistema de calendário cristão é hoje o mais utilizado em todo o planeta, e assim como o calendário gregoriano inicia a marcação do tempo no ano de nascimento de Jesus.

Os estágios do calendário cristão (gregório) é de 365 dias, com doze meses, cada mês tem entre trinta e trinta e um dias, apenas um dos meses no ano tem 28 dias, que é em fevereiro.

Para ajustar o nosso calendário cristão com as estações do ano, existem os anos bissexto, estes anos existem a cada 4 anos e agrega mais um dia no mês de fevereiro 29 dias.

As siglas AC DC não são para nomear uma banda de Rock como muitos pensam, a siglas são utilizadas por historiadores para definir a marcação de anos a.c antes do nascimento de Jesus Cristo e d.c. após o nascimento de Cristo, sedo muitas vezes denominada ac antes de cristo e dc depois de cristo.

Logo após sua promulgação o calendário cristão encontrou resistências de nações em todo o mundo, como a Grécia que só começou a usar o nosso calendário no no século XX, mais especificamente ano de 1924.

No ano da criação do calendário cristão o Brasil era a mais nova colônia de Portugal, e por suas raízes cristãs logo implantou esse sistema em nosso pais, sendo assim, os brasileiros fazem uso do calendário cristão desde sua origem.

Egito Antigo

O Rio Nilo foi a base para os ciclos de medição do tempo no Egito Antigo, além da observação solar e das estelas, o calendário que os egípcios faziam uso tinha, assim como o nosso 365 dias.

Os egípcios utilizavam 5 dias do ano para serem exclusivamente dedicados aos deuses, mais uma vez a influência das crenças na contagem de tempo, o ano do calendário do Egito Antigo tinha doze meses e trinta dias.

Chines

O sistema mais diferente que vamos falar aqui é o calendário chinês que tinha como base os ciclos do sol e as quatro fases da lua, juntos em um sistema lune solar. Apesar da sua complexidade é um dos calendários mais antigos do mundo.

O sistema de calendário chinês existem 354 dias e a cada oito anos e acrescentado mais 90 dias, mantendo assim atualizada a sincronia das estações do ano.

Judaico

O calendário Judaico é baseado no calendário babilônico, sendo outro sistema de contagem de tempo muito antigo, o ano inicial é para os judeus a criação do mundo, o ano de 2020 no cristão e o ano de 5779 do judaico.

Mulçumano

Quando o profeta Maomé escapou de Meca na Arábia Saudita e seguiu em direção a cidade de Medina é considerado como o ano zero no calendário mulçumano.

Os muçulmanos utilizam o inicio da contagem de tempo em seu calendário o dia da hégira, o evento foi a fuga do profeta Maomé da cidade de Meca para a cidade de Medina, evento que ocorreu em 622 do calendário cristão.

A base dos ciclos de contagem de tempo do calendário islâmico e baseado nas quatro fases da lua, ao todo são doze meses assim como o nosso, para muitos o sistema e defasado já que não possui uma sincronia adequada com a mudança das estações do ano, que não condiz com a observação da natureza.

Quantos Meses Tem 28 Dias

Que saber quantos meses tem 28 dias? isso é muito fácil de descobrir, e vamos demonstrar com toda tranquilidade como descobrir quantos dias tem cada um dos meses do ano em um Calendário Cristão.

Em uma lógica todos os meses do ano tem 28 dias, já que todos os meses tem o dia 28.

Entretanto, existe apenas um dos meses com só 28 dias que é o mês de feveiro, além disso o mês de fevereiro pode ter mais de 28 dias, ja que em cada ano bissexto acrescenta-se um dia ficando o mês de fevereiro com 29 dias no total.

Que saber o que é ano bissexto? O ano bissexto acontece a cada quatro anos, isso é por causa das 6 horas que acabam por sobrar todos os anos do movimento do translação da Terra.

Calculando assim (4 x 6 h = 24 h ou 1 dia).

O menor mês de todos os anos independente se for bissexto ou não é o mês de fevereiro.

Todos os outros mêses tem entre 30 dias é 31.

Tabela dos Meses Por Dia

  1. Janeiro: 31 dias
  2. Fevereiro: 28 ou 29 dias (bissexto)
  3. Março: 31 dias
  4. Abril: 30 dias
  5. Maio: 31 dias
  6. Junho: 30 dias
  7. Julho: 31 dias
  8. Agosto: 31 dias
  9. Setembro: 30 dias
  10. Outubro: 31 dias
  11. Novembro: 30 dias
  12. Dezembro: 31 dias
Calendário Cristão – A Historia dos Calendários
Rolar para o topo