Nos tempos das conquistas européias dos povos indígenas, poucas vitórias pareceram tão completas como a de Hernán Cortés (1485 – 1547), o espanhol que derrubou o império asteca no atual México. Historiadores vêm analisando essa notável conquista e ainda não conseguiram explicar inteiramente todos os fatores que colaboraram na vitória espanhola.
Cortés desembarcou na costa do México em 1521. Tinha apenas seiscentos homens e alguns cavalos com ele. Sabendo muito pouco sobre a extensão do império asteca, mas acreditando que fosse rico em ouro, ele abriu caminho até Tenochtitlán, atual Cidade do México. Cortés chegou a Tenochtitlán em 8 de novembro de 1519 e passou a aterrorizar os índios com armas de fogo, cavalos, cães e armas brancas espanholas. Em pouco tempo, abduziu o imperador asteca, Montezuma II (1466 – 1520), e começou a tomar ouro e prata dos habitantes. Não obstante sua óbvia ganância e seu desdém pelos astecas, Cortés foi ousado e engenhoso no combate. Ao saber que um contingente de espanhóis havia desembarcado na costa para prendê-lo, deixou um pequeno número de homens na capital e correu até a costa, onde derrotou os homens que lhe deviam prender e depois ganhou seu apoio. Corrrendo de volta a Tenochtitlán, enfrentou uma enorme revolta do povo asteca. Cortés e seus homens conseguiram sair à força da cidade em 20 de junho de 1520, data que ficou conhecida pelos espanhóis como Noche Triste, ou ”Noite Triste”. Quase mil espanhóis perderam a vida naquela noite, bem como muitos de seus aliados indígenas.

Planta de Tenochtitlán, in Civitates Orbis Terrarum de Georgius Braun, 1594. Biblioteca Nacional, Madri.
Fazendo alianças com os índios totonacas e de Tlaxcala, que odiavam seus conquistadores astecas porque esses exigiam sacrifícios humanos como homenagens, Cortés voltou e sitiou a cidade em 26 de maio de 1521. Montezuma havia morrido em lutas anteriores e seu substituto como imperador asteca estava determinado a resistir aos espanhóis. Esses, ao lado de seus aliados indígenas, lutaram por dois meses e meio até chegar à cidade. Em 13 de agosto de 1521, realizaram um ataque concentrado e capturaram a sua parte interna. Cortés e seus homens haviam triunfado com grande custo de vidas humanas. Dos duzentos mil astecas que habitavam a cidade antes da chegada de Cortés, apenas um terço sobreviveu. As conquistas arquitetônicas e culturais dos astecas foram destruídas pelos espanhóis nos anos de consolidação que se seguiram. Tenochtitlán foi decisiva para o desenvolvimento futuro das Américas Central e do Sul, na medida em que o desejo dos europeus de ouro e glória continuava a causar impacto nos povos nativos do Novo Mundo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *