António Lobo Antunes Biografia

António Lobo Antunes

António Lobo Antunes nasceu em Lisboa a 01/09/1942, por muitos especialistas ele é considerado um dos mais importantes autores da literatura portuguesa quando se refere aos séculos XX e XXI.

António Lobo Antunes
António Lobo Antunes

Lobo Antunes é formado em medicina, com especialização em psiquiatria. Foi destacado para Angola durante a fase final da guerra colonial portuguesa, entre os anos 70 e 1973.

Foi a partir dessa experiência de guerra que Lobo Antunes buscou grande parte da inspiração para escrever seus livros.

Após seu retorno a Portugal, Lobo Antunes foi trabalhar para o Hospital Psiquiátrico Miguel Bombarda, em Lisboa. Em 1980, Lobo Antunes aderiu à Aliança Popular Unida (APU), uma coalizão liderada pelo Partido Comunista Português (PCP).

Atualmente, Lobo Antunes vive em Lisboa e se dedica exclusivamente à escrita.

As Obras de António Lobo Antunes

A maior parte dos livros de António Lobo Antunes está relacionada com o processo que decorreu entre o fim do Estado Novo e o estabelecimento da democracia em Portugal.

Este tema inclui questões como o fim da guerra colonial, o fim do mundo burguês que existia até então e que foi marcado por uma série de valores conservadores e retrógrados, os problemas da rápida mudança social ocorrida com o 25 de Abril de 1974 e a consequente instabilidade política em Portugal.

Todo esse processo teve sérias implicações para as relações familiares, e por isso foi abordado nos romances de Lobo Antunes, onde famílias disfuncionais são retratadas sem referências e a comunicação entre os membros da família é rara ou inexistente.

Seus romances são até mesmo marcados por personagens anti-heróis que são profissionais das chamadas “boas famílias”.

Bibliografia de António Lobo Antunes

António Lobo Antunes publicou seus 2 primeiros livros no ano de 1979, “Memória de Elefante” e “Os cus de Judas”.

Um ano depois, precisamente em 1980, publicou o terceiro livro “Conhecimento do Inferno”.

Com temática mais biográficos os três primeiros livros são muito relacionados com o contexto da guerra colonial.

Esses livros fizeram de imediato de Lobo Antunes um dos autores contemporâneos mais debatidos e com seus livros entre os mais lidos , não só em Portugal, mas também em muitos países da Europa, América, Oriente Médio e Ásia.

As obras ou livros que são de sua autoria:

  • Auto dos Danados
  • Fado Alexandrino
  • Náusea
  • Explicação das aves
  • O Manual dos Inquisidores
  • Tratado sobre as Paixões da Alma
  • A ordem natural das coisas
  • A morte de Carlos Gardel
  • O esplendor de Portugal
  • Não vá para a noite escura tão rápido…
  • Exortação aos crocodilos
  • O que eu farei quando tudo isso queimar
  • Uma boa tarde para as coisas daqui
  • Ontem, eu não te vi na Babilônia…
  • Eu vou amar uma pedra
  • Meu nome é Legião
  • e também três volumes de crônicas

Ao longo dos anos, toda sua obra literária tem sido utilizada em uma grande variedade de estudos universitários.

Ao longo de sua carreira Lobo Antunes consegui diversos prêmios importantes em Portugal e em outras países, um deles é o Grande Prêmio da Associação Portuguesa de Romance e Conto, que ele recebeu por 2 vezes, além do Prêmio Europeu de Literatura, na Áustria, o Prêmio Ovid, na Romênia, o Prêmio Internacional de Literatura da União Latina, em Roma, o Prêmio Rosalía de Castro, na Galiza, o Prêmio Jerusalém de Literatura, o Prêmio Ibero-Americano José Donoso de Literatura e também o Prêmio Camões.

O estilo literário de António Lobo Antunes

O estilo de escrita de António Lobo Antunes reflete uma escrita densa na qual o leitor deve fazer um certo esforço e ter uma certa concentração para entender melhor. Um exemplo disso são as mudanças narrativas que são comuns no meio da escrita, que podem fazer o leitor perder o fio do raciocínio.

Entretanto, embora ele não tenha optado por um estilo de escrita de fácil leitura, Lobo Antunes é um fenômeno de vendas, sendo lido muito em todo o mundo, mas principalmente no continente europeu.

António Lobo Antunes Biografia
Rolar para o topo